Quando me tocas!

Fui uma menina bem comportada! Beijas-me de forma intensa, agarras-me pelos cabelos, encostas-me contra a parede, enfias a mão na minha cona e sorris…

Ilustração

Sinto o teu perfume no ar, sei que estas a chegar, anseio pelo teu toque, pelo teu beijo.

A ansiedade de estar contigo provoca-me um formigar na barriga, tipo borboletas.

A minha cona fica húmida, a latejar como se tivesse vida própria.Finalmente chegas, estou como me mandas-te com aquela lingerie de cabedal que gostas, as meias de liga e salto alto.

Fui uma menina bem comportada!
Beijas-me de forma intensa, agarras-me pelos cabelos, encostas-me contra a parede, enfias a mão na minha cona e sorris...
“- Já estas molhada minha puta! O que que esta cona quer?”
- Quer pau – respondo com ar de cadelinha obediente.

Gemo e estremeço a cada toque teu, a minha cona quente deseja o teu pau.

Viras-me de costas para ti, desvias-me as cuecas com os dedos quanto um dos teus braços me aperta o pescoço e me prende a respiração.

Vislumbro num dos cantos daquele quarto de hotel uma mesa, não muito grande mas com o tamanho ideal para o que me ia no pensamento...

Conheces-me tão bem…, não foi preciso dizer nem uma única palavra…

Metes-me os dedos na cona, e mordiscas-me a orelha, enquanto me empurras direitinha aquela mesa…

Sem uma palavra atiras-me sobre ela, ao mesmo tempo que sinto os teus dedos dentro de mim, fico a mercê das tuas investidas que me deixam a cueca mais ensopada que uma esponja.

Agarras naquela corda de bondage que levei propositadamente e que sabia que irias utilizar prontamente mal á conseguisses alcançar.

Começas por me amarrar as mãos e braços aquela mesa de formato retangular com as medidas perfeitas para tal efeito

Avanças depois para o troco e pescoço, começo a sentir-me prisioneira daquele pedaço de madeira imóvel com que tinha fantasiado poucos minutos antes.

Sinto um misto de impotência e medo por não saber o que me espera, mas ao mesmo tempo uma tesão enorme que me faz querer mais e me deixa em êxtase

Encostas-te a mim, por trás, enquanto me beijas as costas suavemente como que a acarinhar-me por me ter comportado bem inicialmente, mesmo por entre as calças consigo sentir o teu caralho duro e firme encostado a mim e anseio que o tires para fora e me fodas

Tal não acontece…

Agarras as minhas cuecas com as duas mãos e com um firme puxão baixa-las, deixando a minha cona ainda mais encharcada e o meu cu vulneráveis à mercê dos teus caprichos

Afastas-me as pernas com as tuas, de modo a que as minhas encontrem os pés da mesa, baixas-te para me amarrar os pés e pernas a mesa e consigo sentir-te perto da minha cona, bem perto, sinto o calor da tua respiração nela e imploro para que metas a língua e a boca nela

Não respondes, apenas continuas a amarrar-me uma perna, de cada vez, até que acabas nos pés, e penso – É agora que me vai chupar toda

Voltas a não o fazer e isso deixa-me mais eufórica ainda, com mais desejo…

Levantas te e sem te conseguir ver, ouço o desapertar do sinto de cabedal que tens nas calças, presumo que te estejas a despir, o meu corpo delira por completo só de pensar o que me poderás fazer a seguir

Das a volta e ficas de frente para mim, eu impotente agarrada naquela mesa, louca de tesão e tu ali sentado numa cadeira, só de boxers com a mão dentro deles a agarrar esse caralho

Olhas-me nos olhos e perguntas
“- Achas que tens sido uma menina bem comportada que mereça ser fodida por este caralho?”
Ao que respondi prontamente – Sim senhor

Fisga-me por mais alguns segundos, levanta-se, olha-me novamente nos olhos’ despe os boxers, dirige-se a mim e venda-me os olhos com eles

Diz-me então
“ – Não me parece que te tenhas andado a portar muito bem, vais ser castigada por isso”
Respondo – Sim senhor

Pega no sinto de cabedal, enrola uma parte na mão direita e dirige-se para trás de mim, ainda sem me tocar já me sinto a contorcer de prazer

Começa por me açoitar levemente cada uma das nnládegas, a medida que houve os meus gemidos, não de dor, mas sim de prazer, vai aumentando a intensidade e a força até quase ao extremo, sabe até onde deve ir sem nunca passar aquela linha entre o prazer e a dor

Deixa-me o rabo bem vincado como se eu fosse sua propriedade e quisesse vincar bem quem é o dono

Imploro para que me foda, mais uma vez não assiste

Beija-me por entre as pernas, bem perto da cona, não lhe toca, passa a língua de relance no meu gelo e por entre a minha cona

Estremeço e grito bem alto – Chupa-me a cona toda caralho

Não diz uma palavra, sinto-o a afastar-se, e a aproximar-se da minha cara, sério, firme, rígido

Olha-me nos olhos, apanha-me o cabelo carinhosamente com as mãos, enrola-o na sua mão direita como fez com o sinto e puxa-me a cabeça ligeiramente para cima e para trás

Agarra no caralho e sem mais demoras, enterra-o na minha boca até ao fundo, até a garganta, mantem durantes breves segundos, sinto-me a ficar sem ar, mas aquela sensação é indescritível

Diz-me
“ – Ainda não te calas-te? Vou te calar essa boca como eu sei”
Fode-me literalmente a boca toda até me babar e as lágrimas me correrem pela cara abaixo

Adoro aquela sensação de querer e não poder, aquela tortura extrema de prazer

Não se vem na minha boca como esperava, deixa-me recuperar o folgo, enxuga-me as lágrimas e beija-me o rosto com carinho
“ – Percebes-te agora porque não deves ser uma menina má” – disse ele
Acenei com a cabeça – Sim

Bebe um gole de água, e dirige-se para trás de mim, sinto o seu caralho duro a roçar no meu grelo duro e teso também, agarra-me novamente pelo cabelo e enfia-me o pau na cona fortemente, sem aviso, grito de prazer o que o deixa ainda mais bruto, penso que me vai arrancar os cabelos a cada investida, deliro, e quando estou quase a vir-me tira o caralho e sem mais demoras enfia-o no meu cu

Não esperava que fosse naquela altura, daquela forma, mas depois de mais uma bombadas, acabamos por nós vir os dois ao mesmo tempo e com a mesma intensidade.

Desamarrou-me depois é fomos continuar a brincadeira no duche, agora de uma forma mais calma.

Acabei por lhe confessar ao ouvido – Quando me tocas, não sei porque, não sei como, mas deixo de controlar o meu corpo, e dominas-me por completo.

 

TugaEris - Dedica os seus dias a realizar shows eróticos online e a dar a conhecer o mundo do sexo pelos seus olhos através da sua escrita.

www.tugaeriscam.com

Aumente ainda mais o tesão...

Comentários

Ainda sem comentários. Seja o primeiro!

O que pensa desta história? Deixe o seu comentário.

Arquivo de Histórias