Taxista sedutor

Uma viagem diferente

Ilustração

 

Dançar sempre me deixou excitada. O corpo suado em movimento faz-me sentir sensual, gostosa e arrasadora! Estava na discoteca com as minhas amigas e quando chegou a hora de irmos embora, apercebi-me que era a única que vivia do outro lado da cidade. Depois de chegar a casa delas, chamei um táxi. Ele chegou mais cedo que o previsto e eu ainda fiquei mais alguns minutos na conversa com elas. Entretanto fui saindo e quando o vi o taxista... Meu Deus! Fiquei sem ar! Que homem lindo, agasalhado, com cara de sono, olhos azuis deliciosos…

Desculpei-me e fui para o banco de trás. Ele não dizia nada, não olhava pelo retrovisor e aquele silêncio enlouquecia-me. Só olhava para aquele pescoço e desejava beijá-lo, sentir o seu cheiro… Estava cá atrás a ficar louca pelo estranho homem que ignorava a minha presença. Quebrei o gelo e mesmo vendo o taxímetro perguntei por quanto ficaria a viagem. Disse-lhe que vinha da noitada e estava com pouco dinheiro. Tinha apenas 3 horas para dormir pois ia trabalhar logo de manha cedo. Ele respondeu que nesse caso era melhor nem ir dormir. Sei que ele falou sem segundas intenções, mas aquelas palavras deram-me um arrepio no corpo todo. Já não me importava mais com a segurança, postura ou moral.  Passei a desejar aquele homem.

Trocamos poucas palavras mas mesmo assim não conseguia esconder a minha respiração ofegante de desejo. Chegados a casa, pedi-lhe para aguardar um instante enquanto ia buscar o dinheiro. Ele virou-se para trás, olhou-me nos olhos e disse:

- Como és mulher, eu espero. Se fosses homem não.

Estremeci outra vez e percebi pelos olhos dele que aquele era o momento em que eu devia tomar uma iniciativa. Olhei bem para ele e disse-lhe:

- Que bom, caso contrário eu teria que pagar duma outra forma.

Esperei dentro do carro uma resposta e ela veio quando ele olhou-me novamente nos olhos e disse que poderíamos negociar. Respondi de imediato:

- Então arranca que será um prazer pagar a minha dívida!

Enquanto ele conduzia. Desci a mão no pelo seu peito, sobre a coxa, ele era mesmo lindo. Que tesão de taxista! Pus a mão no seu chumaço… Estava tão excitado que não pude deixar de gemer e dizer que o fodia mesmo ali no carro se não fosse tão perigoso. Chegamos a um Motel. Ele puxou-me pelos cabelos e disse que me iria fazer lembrar dele de cada vez que andasse de táxi.

Subiu-me a saia e sentiu o quanto eu já estava molhada e carregada de tesão. Fomos para o wc, encostou-me ao lavatório de frente para o espelho, cheirou os meus cabelos e usou maravilhosamente aquelas mãos grandes e fortes para me fazer vir. Com ele a olhar-me pelo reflexo do espelho, gozei, gemi e gozei outra vez. Implorei para chupa-lo e retribuir-lhe o prazer … Disse que eu cheguei no momento certo àquele táxi. Ele estava ali para me satisfazer e que os meus beijos já retribuíram qualquer prazer que ele me viria a proporcionar. Levou-me para a cama e eu, já louca de desejo pelo prazer do seu toque, entreguei-me por completo.

Ele beijou-me o corpo com desejo! Eu precisava senti-lo… Ajoelhei-me entre as suas pernas e com a boca retribui com muita vontade tudo o que ele tinha feito em mim. Tinha um sabor bom, tinha cheiro de homem com muita rodagem, safado e desinibido… Até que ele pegou-me pelos ombros, levantou-me pôs-me de quatro na cama.

Senti todo aquele mastro grande entrar por mim, praticamente a fazer parte de mim de tão bom que estava a ser aquele momento. Fez-me vir pela terceira vez, desta vez ao mesmo tempo que ele. Simplesmente inesquecível! Totalmente inusitado! De volta a casa, fiz questão de pagar a viagem e ele então disse-me o seu nome: Filipe.

- Ah, meu taxista sedutor, nem precisava saber o teu nome porque nunca mais te vou esquecer…

Aumente ainda mais o tesão...

Comentários

Ainda sem comentários. Seja o primeiro!

O que pensa desta história? Deixe o seu comentário.

Arquivo de Histórias