Acompanhante de Luxo por uma noite

“Não voltes para casa. Liga-me às 23h. Esta noite serei a tua prostituta. Isabela"

Ilustração


Já há muito tempo que tinha esta fantasia e como é obvio, tive de a contar ao Marcelo, afinal já vivemos juntos há algum tempo e sem ele saber de nada, não tinha como realizar esta brincadeira.

Sentamo-nos a conversar e disse-lhe que queria ser a prostituta dele por uma noite. Ele teria que me ligar a marcar um encontro e agiamos como se não nos conhecessemos. Ele concordou, mas o assunto ficou por ali.


Certo dia, ele foi jantar com os amigos, assim tive um tempo sozinha e aproveitei para preparar toda a situação sem ele saber, para não perder a graça.


Fui ao shopping e comprei uns calções de ganga super curtos e justos, a combinar com um corpete vermelho, para apertar bem a minha cintura e deixar os seios mais avantajados. Claro que não esqueci da lingerie também vermelha bem provocante, umas cuequinhas com abertura à frente, e uns saltos estonteantes altos e finos.


Depois de tudo comprado, voltei para casa e mandei-lhe uma sms:


“Não voltes para casa. Liga-me às 23h. Esta noite serei a tua prostituta. Isabela"


Claro que ele se lembrou logo do que tinhamos falado antes e aposto que depois daquele sms o pensamento dele já não estava mais naquele jantar.


Respondeu: “Combinado, ligo-te às 23h”


Chegada a casa, tinha tempo de sobra para me arranjar. Tomei um banho, depilei-me e comecei a produção. Lambuzei-me de hidratante, pus um perfome doce e tentador. Vesti a cuequinha, o corpete, os calções e as sandálias. Estava linda! Uma bela puta!


Finalizei com uma maquilhagem forte, com realce dos olhos em preto esfumaçados, nos lábios um baton vermelho vivo e o cabelo comprido solto. Olhei-me no espelho e quase não me reconheci. Parecia mesmo a Isabela, a personagem que tinha imaginado na minha cabeça…


Faltavam uns 20 minutos para 23:00. Chamei um táxi e fui para uma estrada que nós conhecíamos bem. Pedi ao taxista para esperar um pouco que iria precisar de me deslocar novamente.


Eram 23horas e o meu telemóvel tocou. Estava na altura de encarnar de vez a personagem “Isabela”. Atendi com uma voz sexy.


– Estou sim…

– Isabela? – perguntou ele

– Sim querido… (sempre com uma voz sexy e sedutora)

– Ví o seu número num site de acompanhantes na internet. Você faz tudo? Qual é o valor por hora?

– Hum… Sim, mas anal tenho que ver primeiro o tamanho e é pago por fora. O valor são 200€ por hora.

– Você tem apartamento para atender?

– Não… Só faço deslocações, Hóteis, motéis e residências.

– Tem disponibilidade agora?

– Tenho sim. Motel Habana. Pode ser? Daqui a meia hora?

– Sim, perfeito.


Pedi ao taxista que me levasse até ao motel combinado que não era muito longe dali. Cheguei primeiro, paguei o taxi e fui para o quarto esperar por ele. Aproveitei para retocar a maquilhagem e colocar um pouco mais de perfume. Enviei-lhe um sms, com o número do quarto para que ele me encontrasse.


Entretanto a campainha tocou. Dei uma olhadela rápida no espelho pra ver se estava tudo bem e abri a porta.

– Olá, como se chama? – perguntei

– Marcelo, muito prazer. Meu Deus! Você é linda, Isa.


Adorei o elogio e a forma como ele me tratou… Isa. Em nenhum momento eu fui outra pessoa, encarei totalmente a Isa.


Cumprimentamo-nos com dois beijinhos, entramos e eu perguntei:

– O que gostas que te façam?

– Adoro que me chupem! – respondeu ele.

– Perfeito, é minha especialidade.


Ele sentou-se na poltrona, acomodou-se confortavelmente e começou a tirar os sapatos. Ajoelhei-me, desabotoei-lhe as calças e tirei-lhe o membro pra fora. Já estava duro como uma pedra… Não resisti e caí de boca! Que gostoso, cheiroso, grosso e rosado… Fiquei louca. Chupei-o todo com vontade, como uma puta mesmo, fazendo movimentos enlouquecedores com a boca. Ele gemia de prazer, o seu corpo suava dentro da camisa branca. Ele enlouquecia. Chupei-o durante uma valente meia hora e lambuzei-me toda sem a mínima pressa de acabar.


Ele tomou as rédeas e virou-me de costas. Arrumou-me o cabelo para o lado e desapertou-me o corpete. Eu desabotoei os calções e fiquei só de cuequinha, safada, aberta à frente e bem pequena atrás. Estava praticamente nua.


Virei-me de frente para ele, enquanto me puxava os cabelos pela nuca e me beijava. Um beijo maravilhoso, quente, fogoso, intenso. Foi descendo, a beijar-me o pescoço até me arrepiar a espinha. Deliciou-se nos meus seios, com fome do meu corpo!


Eu gemia muito! Estava com prazer claro, era o meu homem ali comigo, mas entonava mais e mais os gemidos, para não esquecer que eu era a Isa. Ele lambeu-me o corpo todo até chegar lá abaixo. Eu já estava toda molhada, a arder de tesão, louca para sentir aquele pau grosso dentro de mim. Chupou-me tão bem que não aguentei e vim-me na boca dele. Ele estava louco de tesão, urrava de prazer. Colocou-me na poltrona de 4 e penetrou-me! Gemi alto quando senti aquele membro grosso e duro entrar dentro de mim.


Ele estava louco! Chamava-me vadia, cabra, puta... Ouvir todos aqueles palavrões enquanto me comia por trás deixava-me completamente à beira da loucura do prazer…


Ele não conseguiu aguentar muito tempo, puxou-me com força e meteu-me o pau na boca. Veio-se... Muito! Veio-se enquanto me segurava pelo cabelo. Senti todo aquele fluido a encher-me a boca. O seu corpo pingava suor.


Bebi todo aquele leitinho quente e gostoso. No final, solicitei o pagamento e ele deu-me os 200€ combinados.

De vez em quando ele ainda solicita meus serviços…

Aumente ainda mais o tesão...

Comentários

Ainda sem comentários. Seja o primeiro!

O que pensa desta história? Deixe o seu comentário.

Arquivo de Histórias